Home / Notícias / Bolsas e afins pra jornalistas

Bolsas e afins pra jornalistas

Programa de jornalismo oferece bolsas nos EUA

Jornalistas de economia em todo o mundo com pelo menos quatro anos de experiência podem se candidatar a uma bolsa de estudos em Nova York.

A Faculdade de Pós-Graduação da Universidade de Columbia está aceitando inscrições para a sua bolsa Knight-Bagehot em Jornalismo Econômico e Empresarial, que visa melhorar a compreensão dos jornalistas de negócios, economia e finanças.

Os bolsistas irão fazer cursos em jornalismo, direito empresarial, e assuntos internacionais na universidade; participar de seminários fechados e reuniões de jantar com executivos, economistas e acadêmicos; e assistir a palestras e visitar empresas jornalísticas e instituições financeiras sediadas em Nova York.

O programa, que dura o o ano acadêmico da Columbia de agosto a maio, aceita até 10 bolsistas por ano. Os bolsistas recebem ensino gratuito, mais uma ajuda de custo para compensar as despesas. Para o ano acadêmico de 2017-2018, a quantia de U$60.000 será concedida a cada participante, além de habitação disponível no campus.

As inscrições vão até 15 de fevereiro.

Para mais informações: https://goo.gl/g8ZGdo

Pulitzer custeia reportagem internacional

Jornalistas interessados em reportagem sobre crises podem concorrer a um fundo de viagem de US$5.000. Os candidatos devem viver fora dos Estados Unidos.

A Bolsa Persephone Miel, oferecida pelo Pulitzer Center on Crisis Reporting em consulta com o Internews, financiará um projeto de reportagem com foco em uma crise global pouco coberta pela imprensa americana tradicional.

O fundo visa ajudar um jornalista cujo idioma nativo não seja o inglês a alcançar o público internacional. Mulheres são encorajadas a se inscrever. Os candidatos devem ter domínio do inglês.

As inscrições vão até 1° de março.

Para mais informações: https://goo.gl/GGc4PC

Bolsas de reportagens sobre religião

Jornalistas profissionais interessados em reportar sobre religião podem candidatar-se a uma bolsa.

O International Reporting Project (IRP) aceita propostas de reportagem sobre questões de religião global.

Os tópicos possíveis incluem conflito e paz; ambiente e sustentabilidade; economia política e desenvolvimento; saúde e educação; gênero, raça e sexualidade; lei e direitos humanos; movimentos sociais; migração; e humanitarismo.

Os candidatos devem apresentar um orçamento detalhado e um ensaio sobre a história que querem cobrir. O orçamento proposto ajudará a determinar o montante da bolsa.

As candidaturas serão consideradas numa base contínua.

Para mais informações: https://goo.gl/4nGgOZ

Bolsas de reportagem

Jornalistas e outros profissionais de mídia que querem cobrir questões críticas de conservação e biodiversidade podem solicitar bolsas de US$1.000 a US$2.000.

A Earth Journalism Network está oferecendo bolsas de reportagem para apoia a produção de matérias em profundidade que destacam as ameaças à biodiversidade global ou exploram novas soluções baseadas em conservação.

Propostas que se concentram em novos temas ou histórias que não tenham sido amplamente cobertas pela mídia serão dada preferência. Freelancers e jornalistas de todos os tipos de mídias, grandes ou pequenas, são encorajados a concorrer.

As inscrições vão até 17 de fevereiro.

Informações: https://goo.gl/MC0T8F

Bolsas para reportagens européias

Jornalistas com ideias para reportagens transfronteiriças podem se inscrever para bolsas de reportagens investigativas na Europa.

O Journalismfund.eu está oferecendo bolsas para equipes de jornalistas baseados em vários países que trabalham em uma história comum, que devem ter um tema europeu ou transfronteiriço.

Cada proposta será avaliada de acordo com 10 critérios. O Journalismfund.eu cobre os custos relacionados com a investigação jornalística para todas as mídias. Isso pode incluir viagens, tradução, acesso a bases de dados ou simplesmente tempo para pesquisar.

Jornalistas do Conselho da Europa, incluindo Portugal, são elegíveis. Se relevante para a equipe de reportagem, podem ser aceitos membros de fora desses países.

As inscrições vão até 1° de fevereiro.

Informações: https://goo.gl/jpagRG

Bolsas para programa de jornalismo nos EUA

Jornalistas em meados de carreira que cobrem ciência, tecnologia, meio ambiente ou medicina podem se inscrever para uma bolsa de nove meses.

A Bolsa Knight em jornalismo científico cobre um ano de estudo personalizado, cursos e palestras nas universidades MIT e Harvard para jornalistas internacionais e americanos.

Os bolsistas recebem US$70.000, mais taxa de matrícula. Outros benefícios incluem seguro de saúde, bolsas de viagem de pesquisa, bolsas de conferências e acesso aos recursos da MIT e Harvard.

Os candidatos devem ter proficiência em inglês e pelo menos três anos de experiência como repórteres, escritores, editores, produtores, ilustradores ou fotojornalistas em jornais, revistas, rádio, televisão ou Internet.

As inscrições vão até 28 de fevereiro.

Informações: https://goo.gl/TcHhc

Bolsa de jornalismo visual na Califórnia

Profissionais da mídia que demonstraram excelência em trabalhar com narrativa visual e um compromisso em efetuar mudanças sociais podem se candidatar a esta bolsa.

A CatchLight, uma organização de fotografia com sede na Califórnia, procura candidatos para a o programa inaugural de bolsas CatchLight.

As bolsas de US$30.000 serão concedidas anualmente a três líderes criativos no campo da narrativa visual, que demonstraram excelência no uso inovador de fotografia para retratar e gerar consciência sobre questões sociais desafiadoras.

Os candidatos devem apresentar uma proposta descrevendo um projeto a ser trabalhado por 12 meses. Será aceita uma ampla gama de formatos visuais, incluindo fotografia, vídeo, áudio, imagens em movimento e realidade virtual.

As inscrições vão até 31 de janeiro.

Informações: https://goo.gl/KA4Tgl

Treinamento internacional para Jornalistas

Jornalistas com conhecimentos de inglês, alemão e outros idiomas podem se inscrever para o programa.

A DW Akademie está aceitando inscrições para o seu estágio de 18 meses. O programa oferece uma combinação de estudo acadêmico e aprendizagem prática.

Os candidatos selecionados passam os primeiros seis meses participando seminários de teoria e prática. Nos próximos nove meses, eles trabalham em vários departamentos editoriais da Deutsche Welle em Bonn, Berlim, e um dos escritórios da organização no exterior, em Bruxelas, Washington e Moscou. Os trainees passam mais um mês na Deutschlandradio.

Os estagiários ganham um salário inicial de EUR1.590 (US$1.653) por mês e recebem dois aumentos ao longo do programa. Eles também recebem um mês de férias.

Os candidatos devem ter proficiência profissional em inglês ou alemão. Jornalistas que são falantes nativos de outra língua que faz parte dos serviços linguísticos da DW – especialmente árabe, chinês, farsi, francês, russo ou espanhol – são encorajados a se inscrever.

As inscrições vão até 22 de fevereiro.

Informações: https://goo.gl/wXpSox

Bolsas de estudo na Holanda

Estudantes brasileiros com fluência em inglês e bom desempenho acadêmico em cursos diversos, incluindo comunicação, podem se candidatar a este programa.

O Orange Tulip Scholarship Programme 2017 (OTS), administrado pelo Nuffic Neso Brazil, concede bolsas de graduação e pós-graduação, integrais e parciais no valor de até EUR50.000.

As bolsas são para cursos ministrados em inglês em uma variedade de universidades holandesas afiliadas ao programa.

Os candidatos também devem cumprir com os requisitos específicos da instituição de ensino superior escolhida.

As inscrições vão até 1° de abril.

Informações: https://goo.gl/CYalDq

Bolsa de estudos em jornalismo nos EUA

Profissionais de mídia em todo o mundo podem se inscrever para uma bolsa.

O programa de bolsas, patrocinado pelo Donald W. Reynolds Journalism Institute (RJI), convida propostas com ideias inovadoras para melhorar a prática ou a compreensão do jornalismo.

O RJI está particularmente interessado em ideias e projetos que se concentram em resolver problemas criados por bolhas sociais criadas por filtros, notícias falsas e desconfiança da mídia jornalística.

O instituto oferece bolsas residenciais, não residenciais e institucionais. Bolsistas residenciais passam oito meses no campus da Universidade do Missouri, aproveitando os recursos intelectuais e tecnológicos do RJI e da universidade e interagindo com professores e alunos. Estes bolsistas recebem uma bolsa mensal de US$10.000, além de um subsídio de alojamento no valor total de US$10.000.

As bolsas não residenciais são destinadas a funcionários de uma empresa de tecnologia ou notícias que tenham ideias que possam desenvolver continuando em seus empregos. Estes bolsistas recebem uma bolsa de US$20.000 pelo ano, além de apoio a pesquisa e viagens.

As bolsas institucionais de US$20.000 são pagas para a empresa ou instituição e podem ser usadas para contratar um freelancer ou empregado temporário para preencher a vaga de um empregado quando necessário ou para outras necessidades do projeto.

As inscrições vão até 1° de fevereiro.

Informações: https://goo.gl/ZBLHxO

Bolsa de estudo para Jornalistas em Harvard

Jornalistas de todo o mundo que querem estudar e pesquisar política pública nos Estados Unidos estão convidados a concorrer à bolsa em Cambridge, Massachusetts.

A Kennedy School of Government da Universidade de Harvard convida inscrições para a bolsa do Joan Shorenstein Center.

Os candidatos devem ser jornalistas, acadêmicos ou formuladores de políticas ativos na imprensa, política e políticas públicas. Fluência em inglês é necessário.

Os bolsistas fazem um semestre de residência no programa e recebem US$30.000 pagos em quatro parcelas ao longo do semestre. As despesas de viagem não são cobertas pelo centro.

A bolsa fornece escritório, computador, impressora e telefone. Para se inscrever, envie uma carta, um formulário de inscrição preenchido, uma proposta de projeto de pesquisa, currículo e recomendações.

As inscrições vão até 1° de fevereiro de 2017.

Informações: https://goo.gl/aQtBHg

Bolsas para repórteres em Toronto

Profissionais de qualquer área em todo o mundo que desejam cobrir sua especialidade como repórteres em período integral ou parcial podem se inscrever para a bolsa.

A Munk School of Global Affairs da Universidade de Toronto convida especialistas com pós-graduação ou diploma profissional ou experiência de trabalho para se candidatar a uma bolsa de estudo em jornalismo global.

Os bolsistas vão passar de setembro de 2017 a abril de 2018 fazendo reportagens sobre suas especialidades para grandes meios de comunicação, enquanto são orientados por jornalistas veteranos.

Tópicos curriculares incluem jornalismo investigativo, redação, trabalho freelance, habilidades de entrevista de profundidade, o desempenho e dinâmica global. Os bolsistas também participarão de um treinamento de um mês durante o qual vão aprender os fundamentos do jornalismo.

A bolsa cobrirá CAD$10.000 (US$7.469) de um total de CAD$26.000 (US$19.419). Os bolsistas continuarão a receber treinamento gratuito por dois anos após o programa através de reuniões online mensais.

As inscrições vão até 1° de fevereiro de 2017.

Informações: https://goo.gl/RBmTzR

Sobre Geraldo Felix

Veja também

jornalsmo

O Jornalismo não morreu

*Enio Machado – Jornalista e Sócio-Diretor da Alameda Comunicação Dentre todas as profissões transformadas pelo …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *